Feed de Notícias

Publicado em 11.11.2016/13:37

Cartão Reforma estimulará a venda de tintas e a economia

Novo programa governamental beneficiará até 100 mil famílias em 2017, oferecendo recursos para a aquisição de materiais de construção.

Lançado no último dia 09/11, o Cartão Reforma representa mais uma boa notícia para a construção civil. Com orçamento de R$ 500 milhões para 2017, o programa destina recursos para que famílias de baixa renda adquiram materiais de construção para reformar, ampliar ou concluir moradias.

A cerimônia foi prestigiada pelas mais importantes entidades do setor, entre as quais a ABRAFATI, representada por Freddy Carrillo e Marcos Allemann, respectivamente presidente e primeiro vice-presidente de seu conselho Diretivo, e o Sitivesp, representado por seu presidente-executivo, Antonio Carlos de Oliveira. A ampla participação reflete a orientação do governo de ouvir a iniciativa privada, como ocorreu no caso desse novo programa, que havia sido discutido anteriormente em reuniões entre o governo e as entidades com quem tem mantido um contato estreito: ABRAFATI, Anamaco, Abramat e Anfacer.

No anúncio da medida, o presidente Michel Temer destacou que ela irá aquecer o comércio de materiais de construção e gerar empregos. O impacto social também foi salientado pelo presidente, que, ao mostrar imagens de residências precárias, afirmou: “Aquele que mora em uma das casas que foram exibidas aqui, destelhadas, não pintadas, que possa verdadeiramente pintar a sua casa, ampliar um quarto, ampliar o banheiro. Vai sentir-se em condições mais dignas de vida”.

O programa deve atender entre 85 mil e 100 mil imóveis no ano que vem, na estimativa do ministro das Cidades, Bruno Araújo. A previsão é que os primeiros cartões sejam entregues em abril de 2017. O repasse da verba será feito pelo Ministério das Cidades, via Caixa Econômica Federal, que disponibilizará o cartão para famílias selecionadas.

“Esse é mais um importante passo para impulsionar a economia, ao mesmo tempo em que tem um impacto social significativo, tanto na melhoria das condições de moradia da população de menor renda, quanto na geração de empregos. Deve ser destacado que o governo federal reconhece o papel indispensável do setor privado para o desenvolvimento do País e sabe que a construção civil é uma das áreas que, quando estimulada, traz resultados mais concretos nessa direção”, afirma Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI.