Pular para o conteúdo

Caixa Econômica apoia medidas para incentivar setor de construção

ABRAFATI e outras entidades do setor levam propostas relacionadas a crédito, estímulo à adoção de novos sistemas construtivos e utilização de materiais qualificados.

No último dia 27 de junho, representantes do setor de materiais de construção apresentaram propostas ao presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Gilberto Occhi, e aos vice-presidentes da instituição, Fábio Lenza e Nelson Antonio de Souza.

Participaram da reunião os mesmos líderes setoriais que foram recebidos dias antes pelo ministro das Cidades, como parte de uma programação destinada a levar ao novo governo sugestões para estimular a construção civil e, por extensão, a economia: Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI e do Fórum dos Gerentes dos PSQs, Claudio Conz, presidente da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Materiais de Construção), Walter Cover, presidente da Abramat (Associação Brasileira das Indústrias de Material de Construção), e Antonio Carlos Kieling, superintendente da Anfacer (Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres).

As propostas apresentadas estão ligadas a três temas: a ampliação da oferta de crédito, tanto para a compra de materiais de construção via Construcard quanto para o varejo do setor se capitalizar; o estímulo da CEF à utilização de sistemas construtivos mais modernos e eficientes, especialmente nas habitações de interesse social; e a exigência, pela instituição, do uso de materiais de construção qualificados pelos PSQs (Programas Setoriais da Qualidade) nas obras que financia.

“Como principal órgão financiador da habitação no Brasil, a Caixa tem papel chave para a retomada de um ritmo forte para as atividades da construção. A receptividade às nossas propostas foi muito boa, mostrando que existe uma forte convergência de interesses e ideias entre o governo e o setor produtivo, no que se refere à necessidade de fazer a economia crescer e de reduzir os graves problemas sociais do País” afirma Dilson Ferreira.

Participação destacada da ABRAFATI em evento de coleta de resíduos

Desafio da Coleta de Resíduos, realizado em Curitiba, teve adesão expressiva da população.

Nos dias 10 e 11 de junho, a Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), o Sinduscon-PR e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba promoveram o Desafio da Coleta de Resíduos, evento com o objetivo de conscientizar sobre a importância da reciclagem e, ao mesmo tempo, mostrar o que diferentes setores têm feito para garantir a destinação correta dos resíduos sólidos.

A ação principal foi a coleta de resíduos sólidos, levada por pessoas e empresas ao Centro de Eventos da FIEP. A ABRAFATI, juntamente com a ABEAÇO, ficou responsável por receber as embalagens de aço de tintas pós-consumo, assim como sobras de tintas, no âmbito do Programa Prolata. Parcerias com as cooperativas de catadores Arepi e Rede CataParaná e com a fabricante de tintas Alessi permitiram dar a destinação correta aos materiais coletados.

Foram entregues no estande do Prolata mais de 200 embalagens de aço, totalizando 70 kg desse metal. As sobras de tintas recebidas, separadas em diferentes recipientes para base água e base solvente, também atingiram números expressivos: mais de 300 litros no total.

“O resultado obtido foi muito positivo, mostrando que existe espaço para ações desse tipo, com envolvimento direto da população. A participação deu mais visibilidade ao nosso trabalho nessa área e reforçou nosso compromisso de atuar em conjunto com outras associações e com o governo na busca das melhores soluções para o tema. Além disso, contribuiu para o cumprimento das metas estabelecidas na Política Nacional de Resíduos Sólidos”, afirma Gisele Bonfim, gerente técnica e de Assuntos Ambientais da ABRAFATI.

Assista ao vídeo da Prefeitura de Curitiba, em que a coleta de embalagens e sobras de tintas está em destaque: http://www.curitiba.pr.gov.br/tv/desafio-sustentavel-encerra-comemoracoes-da-semana-do-meio-ambiente/3680

Ministro das Cidades anuncia programa de reformas de moradias

ABRAFATI participa dos debates e do aperfeiçoamento da proposta, em reunião com o ministro das Cidades.

Em reunião realizada ontem (13/06) em Brasília, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, apresentou a lideranças da cadeia de construção o primeiro programa social a ser lançado pelo governo Temer, ouvindo sugestões para o seu aperfeiçoamento. Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI e do Fórum dos Gerentes dos PSQs, foi um dos quatro líderes convidados, juntamente com Claudio Conz, presidente da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Materiais de Construção), Walter Cover, presidente da Abramat (Associação Brasileira das Indústrias de Material de Construção), e Antonio Carlos Kieling, superintendente da Anfacer (Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres). A coordenadora-geral do PBQP-H (Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Habitat), Maria Salette Weber, também participou.

O programa destina-se à reforma de moradias, com a liberação de subsídios para famílias com renda de até três salários mínimos adquirirem materiais de construção, por meio de cheques-reforma de até R$ 5.000,00. A iniciativa pode beneficiar até 1 milhão de famílias em dois anos.

Juntamente com essa medida, o ministro também anunciou que serão construídas 15 mil moradias dentro do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), como forma de destravar projetos que dependem da remoção de moradores.

“São medidas muito positivas para estimular a economia, contribuindo para as vendas de materiais de construção em geral e de tintas em particular, uma vez que muitas moradias de famílias de baixa renda não contam com pintura. Ao mesmo tempo, têm um forte impacto social, melhorando a vida das famílias beneficiárias”, afirma Dilson Ferreira.

Lideranças empresariais apresentam propostas a Temer

Objetivo é criar condições para a retomada do crescimento econômico.

 

Um grupo de empresários reuniu-se ontem (08/06) em Brasília com o presidente Michel Temer e com os ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Eliseu Padilha (Casa Civil), Marcos Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços) e Wellington Moreira Franco (Secretaria-Executiva do Programa de Parcerias de Investimentos). O objetivo foi defender medidas que estimulem a economia e os investimentos.

O encontro foi articulado por Paulo Skaf, presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), e teve a participação de Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI, e Narciso Moreira Preto, presidente do Sitivesp.

A pauta apresentada continha cinco pontos principais, que a indústria considera essenciais para o País: não aumentar nem criar impostos, reduzir os juros, ampliar a oferta de crédito, estimular as exportações e dar prioridade à infraestrutura, por meio de concessões e parcerias público-privadas.

“O resultado da reunião foi muito positivo. O presidente e sua equipe foram receptivos às nossas propostas e mostraram que a voz da iniciativa privada será mais ouvida no governo atual”, afirma Dilson Ferreira, que teve a oportunidade de valorizar, para o presidente Temer, a importante contribuição das tintas para os mais variados aspectos do desenvolvimento econômico e social.